Estamos voltando as atividades. Depois da campanha eleitoral, reproduzo abaixo a matéria que do Jornal Diário do Povo, a edição de 30.12.2014 página 4.

Comento em seguida

GOVERNO DO ESTADO

5 mil servidores são enquadrados

mas ficam sem reajuste salarial

 Decreto do governador Zé Filho garante o enquadramento e o reajuste, mas aumento não foi implantado

 Ubiracy Saboia
Repórter

 Cinco mil e quinhentos servidores do quadro administrativo do Estado ficaram sem reajuste salarial este mês, embora tenham sido enquadrados através de decreto assinado no dia 19 passado pelo governador Zé Filho. O enquadramento garantia o reajuste salarial, a ser pago no contracheque de dezembro, e beneficia, segundo a Secretaria de Administração, servidores administrativos do Estado que são regidos pela lei nº 38, de 24 de março de 2004, que não têm plano de cargos e salários específico.

 São cerca de 5.500 servidores ao todo. Houve a progressão e mudanças de padrão de servidores apenas no decreto  publicado; na prática, não houve qualquer mudança nos salários dos servidores administrativos. O pagamento do aumento ficou para a gestão do governador eleito Wellington Dias, para a folha do mês de janeiro. Nestes decretos foram contemplados servidores da Coordenadoria de Comunicação (Ccom), Fundação Cepro, Instituto de Assistência e Previdência do Estado do Piauí (Iapep), (Departamento Estadual de Trânsito (Detran), e das Secretarias de Infraestrutura, de Trabalho e Empreendedorismo e de Administração.

 Também beneficiam servidores da Fundação Cultural do Piauí, Instituto de Terras do Piauí e das secretarias de Educação, Turismo, de Planejamento, Junta Comercial do Estado, Secretaria de Segurança e Secretaria de Saúde.  O ato assinado pelo governador gerou uma mudança de classe e padrão, e o aumento de salário para os servidores que são regidos pela Lei 38, que trata dos servidores públicos. Mas o que deveria ser motivo de ganho salarial para os servidores, frustrou a expectativa de aumento.

 Ou seja, os servidores foram contemplados, subiram no enquadramento mas não tiveram qualquer aumento nos vencimentos. A mudança foi estabelecida na Lei 6.560, de 22 de julho de 2014, que reajusta os vencimentos dos servidores. Segundo o texto da lei, “a implantação das diferenças entre os vencimentos previstos e os atualmente percebidos será realizada a partir de dezembro de 2014”, o que não ocorreu, já que os contracheques dos servidores vieram com os mesmos valores do mês de novembro.

 SEID FORA – Pior ficou para os servidores da Secretária Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid), que não foram contemplados no decreto. Segundo o servidor Edson Araújo, quando a Lei foi publicada, em julho, havia a expectativa de uma melhoria, mas a Seid ficou de fora do enquadramento feito no dia 19. Edson é servidor da Seid desde 2006, nunca foi contemplado com a promoção, mesmo o benefício já tendo sido requerido em 2011 para a Secretaria de Administração.

 Secretário diz que aumento ficou para janeiro

 O secretário estadual de Administração, João Henrique Sousa, afirmou que os aumentos não foram incluídos nos contracheques de dezembro por uma questão meramente operacional. “Fizemos todo o enquadramento, por determinação do governador Zé Filho, mas como a folha de dezembro já estava fechada, ainda cogitamos fazer uma folha suplementar, mas achamos por bem deixar o pagamento e a implantação nos contracheques para o mês de janeiro”, falou o secretário.

 Ele disse que a mudança do plano era um anseio dos servidores públicos que há 10 anos esperavam por isso. “O impacto desta medida é suportável, é de aproximadamente R$ 700 mil por mês. Este aumento cai cerca de R$ 150,00 para cada servidor”, disse João Henrique. O aumento será dado em seis parcelar, cada uma delas de R$ 700 mil. “Quando fizemos o estudo, tudo foi pensado para contemplar o servidor, sem prejudicar as finanças do Estado”, explicou João Henrique.

 Sobre o caso da Seid, João Henrique disse que se os servidores da pasta não foram enquadrados, é porque a secretaria não encaminhou a documentação pedida para a Administração. “Nós pedimos em outubro que todas as secretarias encaminhassem a documentação dos servidores, e fizemos reuniões com os gestores. Neste caso, a Secretaria não encaminhou, por isso não houve o enquadramento”, explicou. Segundo ele, “em nenhum momento existiu a intenção de deixar ninguém de fora, todos que tinham direito e encaminharam a documentação foram contemplados”. (US)

Comento daqui: Mais um vez quem perde é o servidor público. Que na sua grande maioria não é bem remunerado e ainda fica ao sabor das decisões politicas.

Francamente acho muito difícil o aumento destes 5,5 mil servidores sair na folha de janeiro. Ontem o governador eleito Wellington Dias concedeu uma entrevista ao portal Cidade Verde. com e disse que o Estado tem como dar um aumento ao servidor público.

Aos funcionários do Estado só resta esperar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s