A foto da coletiva mais uma vez o Governo passa pelo constrangimento de se explicar por causa de fraudes em concursos/foto:Ccom

Será que a culpa é do Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (NUCEPE)?  A pergunta fica mais frequente, quando uma nova tentativa de fraude foi detectada na aplicação das provas do concurso público da Polícia Militar, sob a responsabilidade do Nucepe, que faz parte da Uespi. Como se não bastasse a tentativa de fraude, o pior é ver a frustração de candidatos e seus familiares que acabam sendo prejudicados com esta ação criminosa.

Por ser reincidente na prática de ser vítima em fraudes nos últimos concursos que organiza, as pessoas começam a questionar a capacidade da Uespi, por meio do Nucepe, em fazer os concursos. Afinal de contas os quase 35 mil candidatos inscritos são as maiores vítimas deste lamentável episódio. Os candidatos esperavam mais segurança da organização, nada mais que a obrigação de quem promove o certame.

Agora, estes inscritos terão que esperar a definição de uma nova data, o que significa mais despesas financeiras para pessoas não tem muitos recursos financeiros, só lembrando que a grande maioria das pessoas que fazem concursos investem tempo e dinheiro (que muitas vezes não dispõem) para conseguir um trabalho por mérito próprio.

É triste ver que ação mais efetiva foi uma coletiva de imprensa (com foto de operação policial), encabeçada pela Polícia Militar, Polícia Civil e Uespi onde foi determinada a nulidade das provas e a suspensão do concurso. A reunião foi acompanhada de uma nota de esclarecimento da Uespi de dar dó.

Onde no primeiro momento, a instituição afasta a possibilidade de envolvimento de um funcionário no vazamento do gabarito. Aí na coletiva a Polícia Civil diz que investiga a hipótese que o vazamento tenha acontecido na gráfica produziu as provas. Se a suspeita for comprovada mostra a falta de capacidade da instituição (Uespi) em fazer e gerenciar estes certames, em um coisa básica o acompanhamento para prestar os serviços. A cada escândalo deste só quem perde é a Uespi, como instituição, porque hoje para milhares de pessoas que fizeram o concurso a culpa disto tudo é da Uespi.

Leia a Nota – O Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (NUCEPE) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), informa que, considerando denúncias de supostos vazamentos e fraudes relacionados à primeira etapa do Concurso para a Polícia Militar do Piauí, aplicada neste domingo (21), e pensando na garantia da lisura do certame, a prova será reaplicada. A decisão foi tomada em reunião ocorrida na manhã desta segunda (22), entre representantes do NUCEPE, Polícia Civil, Polícia Militar e Secretaria de Segurança do Piauí.
O NUCEPE enfatiza que não há indícios de que servidores do órgão estejam envolvidos na suposta tentativa de fraude e acrescenta que está colaborando com as investigações para que tudo seja esclarecido e os culpados, punidos. A reaplicação da prova objetiva a ser realizada, contará com um esquema ainda mais reforçado de segurança por parte das instituições parceiras, Polícias Civil e Militar, no intuito de prevenir o que o Núcleo classifica como quadrilhas de atuação nacional.
Em breve, um novo cronograma será lançado, comunicando as novas datas de realização da Prova Escrita Objetiva e demais etapas. O cronograma será amplamente divulgado para que todos os candidatos tomem conhecimento. O NUCEPE empreenderá todos os esforços de modo a garantir que a reaplicação ocorra com lisura e transparência, garantindo aos candidatos o êxito por mérito e não por meios ilícitos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s