A charge é do Moíses dos Martírios, as informações são do Diário do Povo e da TV Clube e observações são do Blog do Bira. As informações destes canais de notícia mostram que existe alguma coisa no Piauí que está fora do eixo. Em todos os discursos do Governador Wellington Dias e de sua equipe falam que o Estado se mantém funcionando apesar das dificuldades financeiras causadas pela crise.

O Governo repete o mantra que está trabalhando, fazendo obras e que para isto vem captando recursos para investimentos. Mas o Governo só se endivida e não conclui as obras.

Só que a prática mostra o contrário. O Governo está sistematicamente recorrendo a empréstimos com a justificativa de tocar as obras que necessitam de investimento do Estado – com o argumento de trabalhara infraestrutura sem comprometer as despesas do Governo como fornecedores e pagamento de salários.

O governo não fala claramente onde foram aplicados os recursos conseguidos (por empréstimos) para o Estado, para dar continuidade as obras que estavam paradas e iniciar novas obras. O levantamento das 264 obras em todo o Piauí que estão paradas em todo o Piauí, publicado no Jornal Diario do Povo, na edição de sexta-feira (16). No levantamento do Jornal um outro dado merece atenção que o Governo necessita de R$ 500 milhões para concluir as 264 obras.

Outro dado incomodo  a matéria veiculada na Rede Globo. O Governo do Estado decretou estado de emergência para concluir a Rodovia Transcerrados, por causa  da situação precária estrada – uma das principais via de escoamento da produção de grãos do Piauí. O ato vai permitir que o Estado faça a obra de uma forma mais rápida, dispensando a  licitação para empreiteira que vai fazer a estrada. Mas  o Governo está cobrando “um pedágio dos produtores”. O Governo quer que eles paguem todo o combustível das máquinas (que serão usadas na obras) e os valores correspondentes a alimentação dos trabalhadores. Fato causou protestos dos produtores.

Dentro deste cenário de falta de recursos, Wellington Dias continua fazendo suas incursões para conseguir mais empréstimos. No final do mês de maio, as conversas da equipe econômica do Governo foram no objetivo de captar um empréstimo de mais de R$ 1,2 bilhão – desta vez em bancos privado foi aberto um canal de conversas com bancos como Brasdesco e Santander. O que causa espanto é que este recurso teria duas finalidades: o pagamento de precatórios e dinheiro para a conclusão de obras no estado (que podem ser a inacabadas).

E para finalizar, Wellington Dias participou da reunião conjunta dos governadores com o presidente Michel Temer e voltou na mala com a certeza de R$ 315 milhões para o Piauí. O dinheiro deve sair  do BNDES,  que vai destinar R$ 7 bilhões  para os estados, dentro da manobra política de trocar recursos por apoio da bancada federal.  O detalhe é que este dinheiro vem para novas obras – pelo menos foi o dito no primeiro anuncio destes recursos.

O problema é que vão iniciar novas obras e fica uma dúvida: será que  serão paralisadas novamente? Como vai ficar a conclusão das obras antigas? Como Rodoanel, Transcerrados, Ponte do Meio, Centro de Convenções, elevado da Miguel Rosa aeroporto de São Raimundo Nonato, Duplicação das Brs 316 e 343 sem falar nas outras 256 obras paradas em todo o Piauí. O Governo tem responder duas questões simples:  porque estas obras não são finalizadas, e para onde foram os recursos destinados a elas.

Anúncios

4 comentários em “O que há de errado com o Piauí? Faz empréstimos, recebe os recursos e ainda tem 264 obras inacabadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s