Não custa nada informar a população com clareza. A transparência e a honestidade nas informações evitam muitos problemas.  Esta é a ferramenta mais fácil para se evitar e enfrentar uma crise. Há mais ou menos 15 dias, a Prefeitura de Teresina sentiu na pele isso e passou um por um problema desnecessário.  O Palácio da Cidade sofreu um desgaste de imagem, por causa da concessão de uma isenção do Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU para o Teresina Shopping, uma das empresas do Grupo Claudino.

Depois de passar por todo o processo legal, o Conselho Municipal de Desenvolvimento de Teresina concedeu 10 anos de isenção para o shopping. Apesar de ter sido concedida em março deste ano, o  fato veio a público agora no inicio deste mês e teve uma repercussão negativa junto à população de Teresina, pela forma que as informações circularam.

Seria muito mais simples para o prefeito Firmino Filho, no momento em que assinou o decreto, que a PMT tivesse divulgado estas informações:

 Quantidade de empregos gerados pelo shopping com a ampliação:

Segundo a empresa, em 1997 totalizavam no quadro de empregados 1.015 pessoas. Em 2015, com o inicio da ampliação 3.006 pessoas passaram a ser estimadas trabalhando no shopping. Em porcentagem, houve um aumento de 196,5%.Em números absolutos 1991 novos empregos (Segundo informação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico enviada para o Blog).

Estimativa de arrecadação para o município a partir dos empregos gerados:

Considerando o salário mínimo, estima-se que R$ 2.816.622 são injetados na economia do município de Teresina, em decorrência dos colaboradores do shopping (Segundo informação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico enviada para o Blog).

Em vez disto, a PMT não falou nada e quando se manifestou divulgou apenas números genéricos  da geração de empregos na capital. A demora em explicar com clareza toda a situação por parte da Prefeitura de Teresina,  somada a uma tentativa de esperteza do vereador Dudu do PT e o início da cobrança da Taxa do Lixo, ajudaram a transformar um ato administrativo, em um problema de imagem da PMT.

 Aproveitando toda esta onda, o vereador Dudu do PT foi à tribuna da Câmara e criticou a PMT, pela concessão do beneficio. O problema é que o vereador só esqueceu de falar que ele participou da análise do processo de concessão da isenção, discutiu  e assinou concordando com ela. Como todo político, o vereador tentou tirar uma  vantagem em cima do cochilo da PMT, mas não conseguiu. Porém colaborou para aumentar a confusão.

Quando foi questionada sobre o assunto, a PMT deveria ter sido direta. Bastaria esta resposta: que a isenção é concedida  a qualquer empresa, que faça o pedido, de acordo com a legislação e um processo feito pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico.  No caso em questão, falar que a expectativa de criação de  empregos gerados pelo shopping é de 1.991 postos de trabalho. Um aumento de 196,5% na mão de obra atual, por causa da ampliação. E a estimativa de arrecadação para o município a partir dos empregos gerados, que considerando o salário mínimo, estima-se que R$ 2.816.622 serão injetados na economia do município de Teresina, por mês ,em decorrência  da contratação de mão de obra para o shopping.

Só um ponto fica faltando no quesito transparência. Já que foi concedida uma isenção de um tributo, os valores do benefício para o grupo empresarial deveriam ser públicos e divulgados. Nada contra as isenções se feitas com responsabilidade e transparência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s