O bloco de oposição na Assembleia Legislativa encaminhou para o Ministério Público Federal um requerimento pedindo a apuração dos gastos relativos ao transporte escolar no ano de 2016. Eles querem saber porque o transporte escolar no estado do Piauí custou  cerca de R$ 10 milhões de reais por mês, o que totalizouR$ 121 milhões, de acordo com as informações que a Secretária de Educação encaminhou para a Assembleia. O requerimento foi entregue no MPF no dia 28 de agosto

 

A oposição tentou aprovar um pedido de auditoria para o caso. O objetivo era que o Tribunal de Contas do Estado do Piauí fizesse a análise, por meio de uma auditoria dos números relativos aos gastos com o serviço, que considerado pelos deputados de oposição muito alto. Mas a oposição perdeu esta batalha, por não ter maioria na Casa,os deputados de oposição  não conseguiram aprovar o pedido de auditoria. E por isso foram ao MPF.

Usando o argumento de que o programa tem verba federal os deputados estaduais Robert Rios Magalhães (PDT) Rubem Martins (PSB)  Gustavo Neiva (PSB) Juliana Falcão (PMDB) e Dr Pessoa (PSD) assinaram o requerimento que foi encaminhado ao procurador da República Kelston Lages.

No  dia 09 de agosto, o deputado Rubem Martins fez um pronunciamento sobre o caso. Logo depois que a assembleia derrubou o pedido de auditoria. “Analisando a documentação, observamos que apenas 8 (Oito) empresas venceram o certame para transportar diariamente 52.000 alunos distribuídos em 220 municípios atendidos pelo Programa, rodando 122.602 Km/dia. O Governo do Estado Pagou um valor também astronômico por tudo isso em 2016: R$ 121.000.000,00 (cento e vinte e um milhões de reais), distribuídos da seguinte forma: R$ 7.000.000,00 via repasse para Prefeituras através de convênio e 114.000.000,00 pagos a empresas contratadas. Por esses números já se observa que o repasse feito às Prefeituras, que no nosso entendimento seria o correto, representa apenas 5,8% do valor gasto. Isso já chama a atenção”, pontuou o deputado de oposição em seu discurso na Assembleia. E estas informações foram encaminhadas para o Ministério Publico Federal

No fundo, os deputados oposição querem que o MPF faça a investigação e se forem encontradas irregularidades faça a denuncia o contra a gestão da secretária de educação, a deputada federal Rejane Dias.  Afinal de contas os deputados não querem “bater de frente” com a secretária que é esposa do Governador e tem uma imagem positiva com grande parte da população. É por isso que eles deixam o desgaste da acusação para o MPF (que faz isso todo dia) e com isso tentar pegar uma confortável carona no fato, usando o argumento que a oposição é minoria na Assembleia.

 

2 comentários em “Oposição pede que o Ministério Público Federal  apure gastos de R$ 121 milhões com transporte escolar feitos pela Seduc

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s