A morte da jovem Camilla Abreu está na mente de todos e não dá para esquecer este trágico fato, mas existe um detalhe neste bárbaro crime, que não pode ser deixado de lado. O acusado, o capitão da Polícia Militar Allisson Wattison exerce a função militar por força de uma decisão liminar. Em um primeiro momento esta abordagem pode parecer um pouco fora de questão, por causa da gravidade do crime, mas a ação da Justiça do Estado do Piauí em relação aos concursos se mostra danosa, pelo menos no caso da Polícia Militar.

O Blog do Bira apurou junto a PM, que o excesso de liminares nos concursos públicos estão criando um problema para a Polícia Militar. Só relativo ao concurso  para soldado, realizado em 2017, existem atualmente 68 liminares, que determinaram a convocação de eliminados no certame.  Voltando ao caso deste crime, a assessoria da comunicação da Policia Militar informou que o capitão Allisson Wattison não poderia exercer as funções policiais. Ele foi reprovado nos exames psicológicos, quando fez o Concurso da Polícia Militar. Mas ingressou na Justiça e conseguiu se formar aspirante da PM e chegou a posto de capitão por causa de decisões liminares.

O exame psicológico no concurso da Polícia Militar avalia a competência comportamental do candidato para o cargo de oficial, em critérios definidos no edital do certame. O que preocupa o Comando da Policia Militar é que tanto nos concursos externos (para o ingresso na corporação) como nos concursos internos para a promoção de policiais, os candidatos que são reprovados e ou não atendem os requisitos dos certames recorrem a Justiça e muitos ganham.

A PM informou ao blog, por meio do Tenente Coronel Jonh Feitosa, que a polícia cumpre as determinações judiciais. O problema, segundo ele,  é que as  liminares permitem a admissão de candidatos considerados inaptos a atividade policial. Isso  têm causado vários problemas na instituição. Em muitos casos as liminares vem para resolver erros ou vícios no edital do concurso, mas nestes casos criam um grave problema ao  permitir o ingresso de candidatos reprovados nos testes físicos e psicológicos.

O caso de hoje mostrou este fato que é preocupante. A Justiça deve ter critérios mais rígidos para a concessão de liminares para concursos nas áreas de segurança. Onde é temeroso que  a aptidão física ou psicológica de um candidato a um cargo em uma das forças de segurança, seja decidido em uma decisão judicial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s