Charge de Moisés dos Martírios

E agora depois que o pior aconteceu o que fazer? Quem será responsabilizado a incompetência do Governo do Estado ou a insensibilidade dos Hospitais? E o pior de tudo que está mentindo, o Governo ou o Sindicato dos Hospitais?

Depois da morte do servidor aposentado da Secretaria da Fazenda Dionísio Ferreira por falta atendimento médico fica a pergunta que é o responsável pelo fato?

Não basta lembrar que nesta sexta feira, o Governo do Estado e o Sindicato dos Hospitais divulgaram duas notas de esclarecimento. Diga-se de passagem cada uma pior do que a outra: o IASPI diz que pagou o débito referente a abril e o atendimento foi restabelecido. Já o sindicato dos Hospitais disse que os estabelecimentos não receberam e os atendimentos continuam suspensos.

No link a matéria da TV Cidade Verde sobre a morte do aposentado por falta de atendimento médico, vítima na história.

https://cidadeverde.com/videos/33679/servidor-da-sefaz-tem-atendimento-de-urgencia-negado-e-morre

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado do Piauí (Sindhospi) vem a público informar que os pagamentos à rede credenciada, referentes ao mês de abril, ainda não foram efetuados. Na última quarta-feira (18), o sistema foi aberto para encaminhamento das faturas, de forma incompleta, diga-se de passagem, pois deixou de fora as faturas referentes a urgência e emergência, portanto, a suspensão dos atendimentos permanece até que haja a regularização dos pagamentos.

O Sindicado afirma que o prazo contratual a ser levado em conta é o D + 60, ou seja, dia da apresentação da fatura mais 60 dias, prazo extenso e que permite ao Governo do Estado ter tempo suficiente para pagar os prestadores. Por sua vez, cabe ressaltar que muitos dos prestadores possuem contrato firmado com Iaspi, com prazo de apenas 30 dias para pagamento.

O Sindhospi também esclarece que não está sendo negado atendimento de urgência/emergência a nenhum usuário do Plamta, pois isso implica em risco a sua saúde e a vida. Essa é uma orientação do Sindicato e todos os filiados se comprometeram a cumprir a regra. Estão suspensos apenas as consultas, cirurgias e atendimentos eletivos, os quais serão retomados tão logo os pagamentos sejam regularizados pelo governo. Portanto, não é admissível que o IASPI notifique os filiados a cumprirem o contrato, se o próprio órgão não o cumpre.

IASPI EFETIVA O PAGAMENTO DE
ABRIL E ATENDIMENTO É MANTIDO

O IASPI (Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Piauí) esclarece que o pagamento do mês de abril está sendo efetivado à rede credenciada, a maior parte dos hospitais já recebeu hoje (20.07), e o atendimento aos usuários do sistema IASPI Saúde /PLAMTA continua acontecendo. Inclusive, o atendimento oncológico está assegurado. A exceção é o Hospital São Marcos, que não está atendendo sequer a urgências/emergências.

“Infelizmente, houve o caso de um paciente que veio a óbito, lamentamos que tenha chegado a esse ponto, e pedimos novamente a sensibilidade dos diretores dos hospitais para que retornem às atividades“, reitera a diretora geral do IASPI, Daniele Aita, lembrando que nesse caso específico do óbito de um paciente, quem responde por omissão de socorro é o próprio hospital, que recusou atendimento.
Diante da regularização do pagamento aos hospitais e clínicas, o IASPI recomenda aos usuários que se sintam prejudicados que denunciem através da Central do Usuário (3131-6133) das 7-19h ou diretamente na Ouvidora do Instituto, no horário de funcionamento, qual o prestador que não prestou atendimento para que o Instituto possa tomar as devidas providências.

“Inclusive, os hospitais que não estão atendendo já foram notificados, e caso não retornem, vamos tratar o caso como quebra de contrato. Podem até ser descredenciados. Confiamos que o bom senso vai prevalecer e quem está parado deve retomar o atendimento de imediato”, prevê a diretora do IASPI

ATENDIMENTO

De acordo com levantamento do Instituto feito junto à rede credenciada, através do sistema de informatização do IASPI saúde/PLAMTA, no dia 19.07.18 um total de 273 credenciados, entre clínicas, hospitais e laboratórios prestaram atendimento aos usuários do sistema, com um total de 1.107 consultas e 1.526 exames realizados.
Hoje, 20.07.18, até as 10 horas, 189 prestadores estavam atendendo o sistema, tendo efetuado já um total de 417 consultas e 1.099 exames, números que devem aumentar até o final do dia.

Volto a comentar: é muita cara de pau do Governo e dos Hospitais, pois cada um conta a sua versão bonitinha desta história, mesmo de depois da morte de um segurado por falta de atendimento. E quem paga o “pato” (e em um caso com a vida) é o usuário do Plamta e do IASPI.  Onde está o Ministério Público, neste caso (o da morte)?

Parece que este caso é só vai repercutir por causa da eleição 2018

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s