A última terça-feira foi um dia daqueles que vão gerar uma memória histórica (triste) para o Piauí. O dia de 18 de setembro foi a data que uma  romaria de políticos encabeçada pelo governador Wellington Duias foi ao Tribunal de Contas do Estado  e ao Ministério Público Estadual. O objetivo do grupo  fazer uma reclamação formal contra a ação destes órgãos de controle  nas operações Natureza e Itaorna. Será que valeu a pena pressionar o Ministério Púclico?

A forma como o fato foi montado e apresentado para a população ostra uma truculência do Governo, onde políticos que são investigados  foram pressionar o Ministério Público e o Tribunal de Contas fato preocupante. Mesmo que possam ter existido abusos nas operações, o governo poderia ter simplesmente feito representações contra o MPE e o TCE. Mas preferiu um aton onde  toda a encenação da semana passada, mostra que o governo não admite ser investigado.

Em 22 anos que acompanho a política piauiense, nunca tinha visto uma ofensiva oficial deste tamanho e feita desta forma para evitar uma ação de  fiscalização.  O interessante que até mesmo o Controlador Geral do Estado, que deveria “ser a consciência do Governo nas suas contas” participou da ofensiva do Governo contra o TCE e o MPE.

Com toda a sua diplomacia Wellington Dias falou tanto no TCE como no MPE,  e se queixou do modo que órgãos de fiscalização agiram neste momento eleitoral. Para o Governador houve um abuso do Ministério Público e do Tribunal de Contas. Segundo Wellington Dias, bastava que os órgãos pedissem os documentos da investigação para as secretarias e coordenadorias que  foram alvo das operações. O governador  fala isso agora depois de toda a exposição de seu governo e seus aliados políticos, por causa das investigações das operações Topic, Natureza e Itaorna.

Mas uma coisa o governador esquece neste momento. Ele bem sabe que os seus auxiliares fazem as coisas do jeito que bem entendem e não costumam atender pedidos de informações sobre atos da gestão. Outra, o governador esquece que as operações apareceram porque os gestores em algum momento fizeram algo de errado, porque simplesmente uma investigação não aparece do nada.

Só que a imagem mais forte foi no Ministério Público, onde uma foto registrou  o procurador Geral Cleandro Moura incomodado, pressionado entre o governador Wellington Dias e  a senadora Regina Sousa.

Volto a tocar no assunto hoje,  porque nesta segunda feira, 24, o procurador Cleandro Moura afirmou em entrevista ao jornalista Marco Melo que não ficou intimidado com a visita da comitiva do Palácio do Karnak  à Procuradoria na semana passada. Cleandro Moura disse que a PGJ vai continuar a fazer o seu trabalho que é defender a sociedade do Piauí com investigações.

Mudança de postura

Por isso fico abismado com a tática da ofensiva  do Karnak contra o TCE e o MPE. Que diferença do Wellington Dias de hoje,  para o Wellington Dias da oposição, na década de 1990.  Ou então no caso Servaz/Agespisa quando o candidato Wellington Dias, na campanha de 2002, em um debate promovido pela TV Clube,  mostrou a cópia de um cheque que tinha sido sacado na boca de um caixa na Caixa Econômica e cobrou explicações ao candidato a reeleição Hugo Napoleão. Denunciando que dinheiro da Agespisa estava sendo utilizando na campanha eleitoral.

Quem não lembra do Wellington Dias, vereador ou mesmo deputado estadual de oposição que cobrava uma atuação mais firme do Tribunal de Contas e do Ministério Público Estadual. Hoje o modo de agir foi o contrário.

Parece que não foi uma boa decisão do governador em fazer as visitas ao TCE e ao MPE.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s